sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Porque


Porque o desejo da alma foi atendido. O sonho sonhado. A vontade alcançada. O voo voado. Porque sinto o êxtase brilhando na minha própria serenidade. Porque assim notei a ausência dele. Na verdade, não percebi o momento exato em que o medo se foi. Deixou um vazio despretensioso. Um vácuo respeitável. Um lugar fechado pra balanço, em reforma. A terra onde planto a mim. Porque é onde adubo você.

4 comentários:

Pétala disse...

Que maravilha! Ótimo ter você de volta!

Beijos e pétalas.

Jo disse...

Adorei querida!!!

Ana Cláudia disse...

Ah, Lu, que lindo...libertador!

Jacinta Dantas disse...

Ei Luciana,
legal esses porques explicativos. E plantar-se é preciso, assim como é preciso cuidar e regar desse patrimônio único que temos. Nosso Eu.
Gostei de te ler.
Um abraço